skip to Main Content

A Mimus Companhia de Teatro apresenta o projeto MIMUS MOSTRA”, com estreia no dia 20/01, no Teatro Gamboa on Line, até 06/02/21

A Mimus Companhia de Teatro realiza os espetáculos “O Tigre”, “Refazendo Salomé” e “MAR”, e uma oficina de “Mímica Corporal Dramática de Etienne Decroux”, com apresentações virtuais a preços populares, tendo uma parte da lotação do teatro destinada a pessoas em situação de vulnerabilidade social e apresentações gravadas com tradução em libras e audiodescrição como parte de uma programação que inclui ações artísticas, formativas, de acessibilidade e difusão teatral em tempos de distanciamento físico, reafirmando a vitalidade da arte e do teatro.

 O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Com o objetivo de dar acesso a ações artísticas e formativas da Mimus Companhia de Teatro nas plataformas virtuais, em caráter extraordinário e de emergência, em função das restrições no encontro presencial neste momento de distanciamento físico, os atores, dramaturgos e diretores Deborah Moreira e George Mascarenhas, também professor da Escola de Teatro da UFBA, darão continuidade às atividades da Companhia, em parceria com o Teatro Gamboa on Line, apresentando o MIMUS MOSTRA. O projeto investe na continuidade do diálogo com o público e no acesso a obras teatrais que têm por base a experimentação e a renovação da linguagem teatral a partir da investigação da corporeidade e de teatralidades contemporâneas, com trocas verbais e não verbais.

O MIMUS MOSTRA acontece no período de 20/01 a 06/02, no Teatro Gamboa Online, com apresentações on line e em tempo real dos espetáculos O Tigre (20 e 21/01), Refazendo Salomé (27 e 28/01) e MAR (03 e 04/02), seguidos de encontros virtuais com a plateia para um diálogo com o público, em formato de bate-papos realizados após as apresentações, e uma Oficina de Mímica Corporal Dramática – MDC de 12h/aula (20/01 a 06/02), sempre às quartas e quintas, das 17h às 18h, e sábados, das 10h às 12h – pelo Gamboa online e plataforma digital da Mimus Companhia de Teatro. Os ingressos terão preços populares, R$ 20,00 (Inteira) e R$10,00 (Meia), por sessão, e uma parte da lotação de cada apresentação será gratuita para jovens, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade social, vinculados a instituições sociais.

“Essa parceria com o Gamboa é maravilhosa, o teatro sempre viabilizou a realização de espetáculos com ou sem financiamento e agora foi o primeiro do Brasil a oferecer uma plataforma própria para transmissão ao vivo de apresentações no palco do próprio teatro com todos os recursos e equipe técnica, viabilizando também novas ações formativas e oficinas de maneira colaborativa”, parabeniza Deborah Moreira.

“Essa é uma movimentação importante, para a Bahia e o Brasil, pela possibilidade de dar suporte à área da cultura, a primeira atividade suspensa e uma das últimas a retomar os trabalhos interrompidos, mesmo tendo um importante papel na saúde mental e emocional neste momento que exclui a presença e o contato físico para tantas pessoas. Nosso segmento conseguiu explorar outras possibilidades de manifestação cultural pela mediação tecnológica, ativando linguagens como o teatro on line, digital, filme e webteatro como experimentações estéticas especificas. E estamos conseguindo unir forças com o Teatro Gamboa on Line por meio do apoio fundamental da Secretaria de Cultural do Estado e  Fundação Cultural através do programa Aldir Blanc Bahia e Prêmio das Artes Jorge Portugal”, completa George Mascarenhas.

Para a Mimus Companhia de Teatro essa foi uma forma de manter seu repertório vivo e atualizado, garantindo ao público um novo panorama de possibilidades de representações e diálogo com a poética da Mímica Corporal Dramática, de uma dramaturgia autoral e da conexão do grupo e seus artistas com os princípios da cena contemporânea.

 MIMUS MOSTRA – Discussões poéticas contemporâneas

O MIMUS MOSTRA destina-se a um público adolescente e adulto, como um convite para percorrer territórios distintos. “Artísticos e formativos. Geográficos e simbólicos. Terras brasileiras e de além-mar. Territórios humanos. De vozes que não se calam para falar das questões que saltam na atualidade, para refletir e se posicionar ou reposicionar diante da realidade que nos cerca”, descreve Deborah Moreira.

Desse modo, ela acredita que a mostra valoriza particularmente as elaborações teatrais que têm por base a experimentação e a renovação da linguagem teatral a partir da corporeidade e investe na apreciação e formação artística e de platéia. “A ideia é abrir espaços de diálogo e reflexão acerca das possibilidades de expressão e criação artística por meio de interfaces com o meio digital, aprofundando e ampliando reflexões sobre criação artística, formação estética e a relação do teatro com as novas adjetivações e formatos trazidos em meio à pandemia, como teatro web e teatro filme”, explica Deborah.

O Projeto ainda proporciona uma discussão poética de temáticas de interesse contemporâneo que envolvem o contexto do distanciamento físico e também o ultrapassam, permitindo o acesso democrático a atividades artísticas com pesquisa em linguagem cênica ligada a questões da corporeidade e de princípios e procedimentos de teatralidades contemporâneas e ainda oferece aos artistas e interessados o acesso aos princípios do movimento na MCD decrouxiana.

A poética cênica da Mimus alia o teatro físico através da investigação com a mímica corporal dramática de Etienne Decroux, pesquisa com uma dramaturgia original e princípios e procedimentos de teatralidades contemporâneas, resultando na elaboração de uma linguagem inovadora e contemporânea para discutir temáticas atuais.

“Entendemos que trazer elaborações poéticas contemporâneas e temáticas de interesse atual é refletir sobre relações que perpassam dimensões sociais, culturais e políticas de amplo alcance”, afirma Deborah. “Tais discussões permitem reconhecer caminhos para avançar, compreendendo que a arte pode cumprir um papel deflagrador de conscientização para as necessárias mudanças de atitude e mentalidades culturais”, define George Mascarenhas.

Espetáculos e Oficina

Em O Tigre, um solo com George Mascarenhas, o diálogo com a cena, recursos tecnológicos de projeção mapeada e a musicalidade são o tripé da elaboração cênica para falar de tigres metafóricos contemporâneos, na arte, na política, no cotidiano do Brasil.

Refazendo Salomé, solo com Deborah Moreira, traz, por sua vez, a pesquisa com a musicalidade associada a uma dramaturgia fragmentada por meio do qual uma outra versão da história de Salomé, eixo narrativo da peça, é atravessada por depoimentos de Malala, Zuzu Angel, Maria da Penha, Billie Holiday e Mercedes Sosa, mulheres marcadas por perseguições e lutas para se fazerem escutar.

Já o espetáculo MAR reúne os dois artistas dentro e fora de cena, investindo na fisicalidade e na construção de uma dramaturgia não-verbal para compor imagens cênicas que revelam vozes de temas contemporâneos a partir do encontro de dois personagens, à beira mar, com sapatos trazidos pela água, cujo número aumenta progressivamente.

Do ponto de vista temático, Refazendo Salomé e O Tigre se conectam pela busca artística de vozes singulares, expressões de forças criativas únicas que se manifestam através de uma palavra que atravessa os silenciamentos. “Em O Tigre, entrelaçamos as nossas vozes às vozes de outros artistas e pensadores para compor um manifesto de muitas vozes contra as censuras e aniquilamentos impostos por ataques diários de tigres metafóricos ou reais”, destaca George Mascarenhas.

“Em Refazendo Salomé, trazemos para a cena uma personagem que foi silenciada pela história e luta pela liberdade contra a versão histórica oficial, se constituindo como um manifesto de vozes de mulheres cujas histórias foram suprimidas ou alteradas, em benefício de versões oficiais difamatórias, ou que tiveram que se levantar contra silenciamentos”, analisa Deborah Moreira.

MAR, por sua vez, com imagens construídas pela corporeidade dos atores, abre espaço para múltiplas e variadas interpretações: relações conjugais e de poder, a recente contaminação do mar por petróleo cru e a crise migratória são algumas das temáticas referidas. “Em sua pluralidade metafórica, MAR oferece outras possibilidades de releitura em profunda conexão com as crises provocadas pela pandemia de COVID-19 e as necessidades de adaptação e transformação provocadas pelas diretrizes de confinamento”, acrescenta Mascarenhas.

Em segunda instância, o projeto também se destaca por oferecer a artistas e interessados na arte a possibilidade de experimentação da técnica através da oficina de Mímica Corporal Dramática, com reconhecida importância no meio teatral, tanto na formação de artistas quanto na criação de espetáculos, mas ainda uma linguagem artística de acesso restrito. “Esta proposta possibilita a difusão de uma linguagem artística rara, promovendo diversidade poético-cultural, ampliação do acesso do público a horizontes contemporâneos de formação estética, oferecendo o acesso amplo, especializado e aprofundado aos princípios do movimento na MCD decrouxiana”, avalia George Mascarenhas, que é representante internacional no Brasil da WMO – World Mime Organization (Organização Mundial de Mímica).

A oficina online de Mímica Corporal Dramática de Etienne Decroux terá carga horária total de 12h, sendo 1h por sessão, às quartas e quintas – com acesso pelo Teatro Gamboa Online – e 2h por sessão, aos sábados – com acesso pela Mimus Companhia de Teatro. A oficina será realizada em ambiente virtual fechado para pré-inscritos, a partir de 15 anos, mesma classificação etária indicada para os três espetáculos assinados pela Mimus Companhia de Teatro. Os encontros abordarão os fundamentos da Mímica Corporal Dramática de Etienne Decroux, propiciando um contato inicial com seus princípios técnicos, estéticos, dramáticos e metodológicos e sua possível utilização no desenvolvimento expressivo e na criação cênica.

Vale ressaltar que todas as apresentações e bate-papos ocorrerão nos ambientes virtuais do Teatro Gamboa on Line (www.teatrogamboaonline.com.br).

 

 

 

 

Back To Top